23 novembro, 2017

Infinitamente pessoal

Vez ou outra volto ao inicio, e todo o percurso é doloroso. Toda lembrança esbouçada no pensamento é um naufrágio da esperança, da esperança de um dia ser mudança. Todo passo adiante do agora, é diferente do pensado no inicio, a vida tem mania de seguir outro rumo quando a planejamos. Parei, feito relógio antigo que insiste em enguiçar, o tempo não é amigo de quem não quer reagir... O mar é maior do que eu pensava, e o barco furou novamente, agora em vários fragmentos, difícil de restaurar. Não lembrava que as estrelas eram tão brilhantes e o céu tão lindo, e essa água tão gelada. A vida tem mania de nos testar, e nos fazer morrer, pra então acordar... e mudar. As mudanças são necessárias, caso contrário, peça para a vida não mais te [me] acordar!

-
S

17 novembro, 2017

4




Apontou pra fé e remou, e pensou se o amanhã chegaria. Precisava andar um caminho só, e foi buscar alguém que nem sabia quem era, "eu escrevo e te conto o que vi, guarda um sonho bom pra mim", deixou num bilhete. Só não imaginava que o acaso deixaria outro alguém. Sabia, se perdeu, mas só se achava em ti. Os pássaros iriam ajudar e o levariam pra  visitar o céu e sonhar em ver aquele véu ser levantando pra si. "Pra nós, todo amor do mundo", vez ou outro imaginava, só que a paz estaria no sereno dele estar em par com Deus. Mas o vento logo dirá o que irá vir. Sabia que o amor é luz, e pediu para o deus do tempo. Sabia também que era um doce te amar, mas querer-te era muito amargo, acabou se encontrando nos dias, só. Agora só leva a saudade, que como ele diz "é tudo que vale a pena". Pois é, não deu. Mas o Senhor mandou avisar que ele ainda tem muito mais amor pra dar - pra ele, pra outras, e pra ti ainda!
-
S.

28 setembro, 2017

É avançar um passo e voltar dois. É não mais conseguir sorrir de forma singela. É empurrar a vida e só ir e vir, feito coisa que não sabe se continua ou acaba. É não querer, não mais ser, ter ou crer. É recuar... É avançar dois passos e voltar três, feito coisa que não sara. É um barril imenso da cerveja mais gelada e barata, bebendo até se afogar, até sua sanidade sumir. É avançar, parar... voltar! É ser covarde sempre. É chorar. É querer descansar. É querer explodir, acalmar... e depois organizar!

É querer ser novamente, e novamente 
vi(ve)com o coração.

-
S.